A Sociedade da Rosa dos Ventos é uma associação cujo nome vem do símbolo da Comunhão Anglicana. A Sociedade foi estabelecida através do Conselho Consultivo Anglicano de tal modo que indivíduos, paróquias, dioceses, províncias e organizações ao redor do mundo possam prover o suporte financeiro necessário para o trabalho da Comunhão Anglicana.

Essas dificuldades nem sempre eram conhecidas pelo restante do mundo. Um exemplo foi uma visita do Arcebispo Carey ao Sudão, em 1994, em meio a uma guerra civil e na mais profunda miséria. Era uma nação que aparentava ter sido esquecida pela mídia e pelo mundo. O relato do povo sudanês precisava ser contado, e o Escritório da Comunhão Anglicana teve papel fundamental na divulgação dessa história ao mundo todo. A resposta da família anglicana global, tanto em oração quanto em suporte financeiro, foi surpreendente. Fizemos a diferença. Aceitamos o desafio.

Pela primeira vez, o Escritório da Comunhão Anglicana esteve envolvido nesse nível de trabalho de suporte a uma província com necessidades. Tomamos passos de fé, pois não havia fundos disponíveis para ajudar a contar a história do Sudão. Mas havia outras dificuldades também. Os funcionários do Escritório da Comunhão Anglicana ficavam frustrados por não terem recursos para facilitar uma resposta à crise. Por causa de tais realidades e desafios envolvendo anglicanos no Sudão e outros em demais circunstâncias, fez-se necessária a criação da Sociedade da Rosa dos Ventos.

A Sociedade da Rosa dos Ventos foi formalmente estabelecida em 1997. Os fundos coletados por ela assistem com o trabalho do Escritório e do Conselho Consultivo Anglicano, na medida em que eles respondem às necessidades das províncias ao redor do mundo.

Clique aqui (texto apenas em inglês) para obter mais informações sobre o trabalho da Sociedade da Rosa dos Ventos.